01 fevereiro 2009

Leve, levezinho

Passo ante passo
Se faz o caminho.
Momento a momento,
Balançando o sossego,
Despindo o medo.
No meio da pista,
O segredo se conta,
Sussurrando aos gritos,
Partilhando o infinito.
Sou eu, sou eu.
Estou aqui, cheguei,
Anda ver, vamos dançar,
Vamos os dois festejar!
E a noite passa e não te largo,
É um sorriso irritante,
É o meu abraço.
Mais tarde amanhece,
O Sol aparece,
(estava tudo combinando).
Pomos os dois a mesa,
Lavamos a loiça.
(Quem sabe?
Talvez alguém trabalhe.)
E não há cupidos e setas,
Poemas nem borboletas.
Há eu e tu e tu comigo,
Há beijos, e este suave viver,
Todos os dias são nossos,
Somos os dois nós.
Viver e amar,
Amar e viver.
A alegria de perceber,
Que o Evereste foi bonito de subir,
Mas hoje é no sopé,
Que plantámos nossa casinha.
Aqui e ali.
Amar e ser feliz.

5 comentários:

eva disse...

Tenho de te dizer uma coisa... Estou fã dos teus poemas... Não há volta a dar... :)
(E não te esqueceste de um pormenor muito importante... o da loiça!) :)

nando disse...

Eva: :-)
Fã! Fã! Mesmo, mesmo fã?... lol
;-)

eva disse...

Mejmo!... ;)

susana disse...

Uma voz de casamento. Cuida-te!

nando disse...

Eva: lol... era retórica... era retórica... mas obrigado! ;-)

Su: U 2! ;-)