11 setembro 2008

The god way, or the bad way?... (two kinds of elders)

I used to think age offered knowledge. People would became wiser as time went by, the same way we get older and gain wrinkles. Some would even achieve that sort of bliss that elders get in African tribes, to whom younger ones came and ask for advices on life, relations and other difficult decisions.

As time goes by and I get to know more of these "elderlies", I came to realize I was mistaken. And that wisdom does not come free, or easy. As I think about it, it makes perfect sense: when I look around, most people of my own age are not particularly bright, or particularly interested in making sense of it all. How will they learn anything if they are asleep?... Even thought life can be the best school, one steel needs to be open to the idea of learning...

Even more surprisingly (to me), I am starting to realize that the true elders, the ones who have gain the invaluable wisdom, are the ones that made more mistakes in life. The ones who, more often than not, took the "wrong" path. The ones who broke the laws, the ones who cheated on their espouses with their secretaries, the ones who stepped on everyone else's toes to get where they are, the ones who do not care about other's people feelings, the ones who parked they cars locking other cars, the ones who never give back the excessive exchange money. The ones who made mistakes.

The other, who led their lives following the rules and choosing the "god" way... had no problems. It is like a river that follows its bed. There is nothing to do, and nothing to learn. And so, nothing to teach. They have little or no advices to offer about why they did what they did, or why should one do the same - they just know their way.

Of course, this does not explain the Delai Lama. But how many Dalai Lama are there?...

In fact, this makes me wonder if one should be so keen to do the right thing, not to fall, not to make mistakes, to listen to the elders' advice. It makes me wonder what kind of elder one should aim to be.

25 comentários:

Ti disse...

"Even more surprisingly (to me), I am starting to realize that the true elders, the ones who have gain the invaluable wisdom, are the ones that made more mistakes in life"...eu não queria dizer isto mas estou no bom caminho...brincadeira ;)

MAF disse...

era capaz de jurar que já tinha lido isto

alguém+ neste mar de gente disse...

desculpa mas não posso concordar. qualquer pessoa mais velha tem algo a ensinar. nem que seja exactamente a não seguir o curso da vida de acordo com as leis que lhes foram impostas.
uma coisa concordo, não é por envelhecermos que vejo todos à minha volta a ganharem sabedoria... é preciso estarem abertos à ideia e procurarem sempre serem mais e melhor. o que não acontece. atingem aqueles objectivos e já está. a namoradinha, o audi, a casa, as tardes a beber mines no café com os amigos e as ocasionais quecas que dão com alguma amiga da namoradinha... and thats it.

nando disse...

Ti: isso quer dizer que serás uma boa conselheira, num futuro longínquo? ;-)

MAF: se tiver melhor conclusões que as minhas, é favor deixar o link, para eu me ir instruir! ;-)

Alguém+neste mar de gente: é verdade. Qualquer pessoa (mais velha ou mais nova) tem sempre algo para ensinar; algo que sabe ou faz, melhor que o outro.
Mas nem sempre terá um bom conselho para ti; nem sempre conseguirá fazer-te pensar. Porque às vezes limitaram-se a deixar passar os dias.
:-)

eva disse...

E como é que se consegue fazer coisas que sabemos estarem mal, que são proibidas... e que sabemos precisamente que são erros? Só se uma força "irresistível" nos atrair para isso... Porque ao fazer erros "conscientemente" estaremos é a ser parvos... ou então a aprender as coisas por nós próprios... É, deve ser mesmo isso... afinal de contas, tudo é relativo...
Acho que vou começar a assaltar bancos, e a mandar uns piropos de vez em quando ;)

nando disse...

Como cometer erros!?... Essa é a parte mais fácil!... Fumar, trair alguém, não cumprir o Código da Estrada (lol)...
Mas eu pensava mais em erros para nós (que acabam por nos magoar) do que em assaltar bancos... Ir pelo caminho errado, porque há uma esperança lá no fundo, uma réstia de inocência que ainda acredita... :-)
Quanto aos piropos... Estou disposto a fazer o sacrifício para que alguém aprenda: podes começar aqui mesmo! (quem é amigo, quem é?...)
:-)

PS: "mandar uns piropos" é um erro!?... e ainda por cima ao lado de assaltar bancos!?... acho que vou passar uma eternidade bem quentinha... :/

susana disse...

Xiii... ando desactualizada! Trabalho, trabalho, trabalho... eu volto para ler este testamento. mas aviso que me vou fazer de inculta, a ver se pareço mais nova! :)

blogue disse...

Mandar piropos pode ser um erro, e dos grandes, se alguém não gostar e passar à acção, com violência... Por isso vou-me conter... (e ninguém disse que eu não os sabia mandar :P)

Quanto aos outros erros... pois... acompanham-nos sempre... e só nos apercebemos deles mais tarde, na maioria das vezes...

eva disse...

O "blogue" sou eu... (Não percebo pq ficou assinado assim)

Ti disse...

Nando, as conclusões tira-las tu, ok? :) bjinho.

nando disse...

Susana: ahaha! Estás-me a tentar roubar o protagonismo!? Como é que é?... ;-)

Eva: hmmmmm... será que eu passo uma imagem assim tão brutal?!... (acho mesmo é que não sabes... ahahahah)... e isto percebia-se melhor se quisesses mandar uns piropos a uma mulher! Elas/vocês é que costumam/podem reagir mais violentamente. Os homens, por norma, quando reagem a piropos... não é violentamente... :P

Ti: Eu!?... claro que não... :P Até lá (que ainda falta muito) vamos deixá-las sair sozinhas!, boa? :-)

eva disse...

Desisto... (por agora :P)

susana disse...

Qual protagonismo? O de ser mais novo? Deve ser das poucas coisas que não se pode roubar... a idade!

susana disse...

Pronto. Já li. E acho que estás um radical. Para ti a sabedoria só vem do quebrar as regras? Não concordo... Há, de facto, vidas que eram para ter sido e não foram, e há vidas que o foram, serenamente, e há vidas loucas, que se perderam. Há um pouco de tudo, para todos os gostos.

Digo eu...

nando disse...

Eva: uma retirada estratégica, han? very vel... :-)

Susana: o protagonismo de ser o inculto!!! :-)
Talvez os exemplos não tenham sido os melhores. A sabedoria não virá sempre de se quebrar as regras, mas vem certamente dos erros. As pessoas aprendem mais na dor (logo: com os erros) que na alegria (quando acertam...). Acho que li algo parecido no António Damásio, mas pessoalmente acho que é verdade. Das coisas mais simples (exame académico), às mais complexas (...). :-)
E dessas vidas todas, quais é que "geraram" os elders bons conselheiros? (pergunto eu...) ;-)

susana disse...

Um exemplo: participo regularmente em congressos e aprendo muito mais com aqueles em que tudo corre bem, do que com aqueles em que tudo corre mal, ou muita coisa corre mal. São as boas experiências que tenho copiado. Não que não aprenda com o mau, aprendo a evitá-lo, mas é mais fácil contrariar algo mau do que ter uma ideia boa, por isso as experiências boas são sempre aquelas com que mais aprendo. Será que me fiz explicar?
Acho que a sabedoria da velhice vem, simplesmente, de uma vida de experiências, boas e más. Quem por nada passa ou nada tenta é que nada aprende.
Espero que seja assim, porque eu não sou muito de baldas e caminhos erráticos. Espero não ficar uma velhota inculta...

nando disse...

Eu também aprendi muita coisa na faculdade. Em aulas que correram muito bem. :-)
Acho que a lógica que ali pus não se aplica a todo o tipo de conhecimento. Talvez só sirva para o que se aprende na tal da "escola da vida". Faz mais sentido assim? ;-)
E claro que as boas experiências também ensinam qualquer coisa. Mas acho que não ensinam tanto... ;-)
Conheces bons conselheiros com vidas calmas e serenas?...

susana disse...

Será que calmo e sereno significam o mesmo para nós os dois? Para todas as pessoas? Acho que a tua calma e serenidade significam apatia perante a vida. Para mim não...

nando disse...

Pois. É possível que calmo e sereno tenha mais de um significado... :P
Mas acho que não é preciso chegar a apatia. Basta ter a vida calma e serena que tem a maior parte das pessoas. Preocupadas com coisas curriqueiras e sem tentar perceber a "big picture". :/

susana disse...

Sim, está bem, mas o que eu não concordo é com um saber de experiência feito com base neste descritivo: The ones who broke the laws, the ones who cheated on their espouses with their secretaries, the ones who stepped on everyone else's toes to get where they are, the ones who do not care about other's people feelings, the ones who parked they cars locking other cars, the ones who never give back the excessive exchange money.
Há formas de coragem bem mais interessantes do que estas!

nando disse...

Admito (novamente!, lol) que os exemplos talvez não sejam os melhores. Essencialmente, andava à procura de todas aquelas situações em que a mamã que há dentro de nós diz «Não corras aqui, vais cair e aleijar-te!». Mas corremos e - claro - esfolamos os joelhos. Mas ficamos com uma história para contar. Uma história que conta alguma coisa. :-)
É evidente que também há quem se atire para dentro de tudo o que é problema e não aprenda nada com isso. ;-)
Mas a história de erros e aprendizagens nem sempre é uma história de coragem. Às vezes é mesmo só azar. :/

susana disse...

Connection completed!
Be welcome!

nando disse...

Oh! Uma retirada!?... lol
Ai, ai. Esta coisa do common ground...
;-)

susana disse...

retirada?
Nããã... fim de acção pedagógica!
:DDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDD

nando disse...

Ah! Mas que golpe mais baixo!!!



Qual? O meu claro! Ao admitir o respeito pelos mais... experimentados...
:P