22 março 2009

Monstros e demónios,
De tamanho “L” e “XL”
Cores maléficas,
E mesmo maus,
Piores que as cobras,
(Se as cobras fossem más).
E estão aqui comigo
Fogem para acolá comigo
E passam a noite a meu lado,
Velando meus pesadelos.
São tenebrosos e companheiros
Viscerais e gigantes.
São tão meus como estes meus dedos.
E só me deixarão em paz
Quando eu finalmente
Os abraçar com quanta força tenho
E perceber afinal,
Que sou eu;
São tão grandes como eu,
Serão tão maus como eu.
E então,
Eu e meus medos
Seremos eu.

4 comentários:

eva disse...

Gostei... :)

nando disse...

:-)

susana disse...

Tua andas muito poético e eu muito fugida!
Experimenta ler "A gárgula" de Andrew Davidson. És capaz de gostar...
Saudades,
:)!

nando disse...

Acho que podemos bem partilhar da "fugidez"... :P
De qualquer maneira, vou por na minha listinha (a verdade é que não é só dos blogues que eu ando ausente. Os livros do Natal ainda não estão na cabeceira, porque ainda não cabem... lol)

Kisses
:-)