24 julho 2009

Divinais dores de dentes, prazeres machista e a imortalidade

Na eterna disputa entre criação e evolução, um dos argumentos que me impressiona é o da funcionalidade. Existem grandes diferenças entre planear um homem (e também uma mulher) e simplesmente deixar que eles aconteçam e evoluam. Uma dessas diferenças está nos dentes. Se eu tivesse inventado os dentes humanos, eles seriam como os dos cães que não ganham cáries. Ou como os dos tubarões, que nunca acabam. Já os meus são tipicamente amarelos e com uma manutenção dispendiosa em tempo e consultas a senhores sadicamente simpáticos de batas inumanamente esbranquiçadas.

Se porém imaginarmos que os dentes tinham como função mastigar por 20 ou 30 anos (esperança média de vida do “humano natural”, sem medicações, higiene ou hidratos de carbono refinados), os pedacitos de cálcio com flúor nas pontas até têm algum sentido. Até parecem bastante adequados à função.

Mais difícil de explicar, embora ainda dentro do geneticamente razoável, está o facto de ser muito mais fácil para os homens terem prazer no coito. E mais difícil para as mulheres. Assim como o facto de nenhum dos dois durar mais de um cento de anos. Imaginem que o Einstein ou o Churchil tinham durado meio milénio. Onde estariam?... Claro que aquilo que à partida não faz muito sentido, visto sobre uma perspectiva evolucionista, tem outras cores. Perdemos os telómeros dos genes e envelhecemos porque não há evolução durante a vida, só na reprodução. A questão do prazer parece ainda mal resolvida.

E será que isto prova que Deus não existe? Claro que não… apenas nos diz que a evolução tem uma explicação bastante razoável para coisas aparentemente muito estranhas.

10 comentários:

susana disse...

Só vim dizer olá enquanto faço um backup. Olá!!

nando disse...

Olá, sem backup, daqui tb!

susana disse...

Eu li isto muito depressa e por isso não percebi nado, não foi?

nando disse...

Não sei... :S
Mas essencialmente insisto aqui na minha antiga discordância com as dores de dentes. Foi isso que percebeste?
;-)

susana disse...

É, tinha qualquer coisa sobre dentes, tinha...

nando disse...

E dores... dores de dentes.
(esta parte é importante!;-)

susana disse...

Ai... pobrezinho! São um pavor!

nando disse...

Conduzem a muita reflexão...
Pois, pois...

angelasoeiro disse...

Tenho andado um pouco afastada daqui...
Mas olha, quando estás com dores de dentes, viras-te para a filosofia? E para os estudos evolucionistas??
Estranho...

=)

nando disse...

Oh! Eu ando sempre a evoluir no existencialismo... As dores de dentes são só outra desculpa...
;-)