20 julho 2009

Por vezes

Qual benigno carcereiro, professor matreiro
Surpreendo em mim laivos de tímida felicidade.
Subtis sorrisos de uma sossegada serenidade,
Sem loucuras, sem monumentalidade, sem flashes.
Apenas um por do sol que me perturba cada vez mais,
De verdade.
Apenas um aproveitar o sol de dia e a escuridão de noite.
A beleza, onde a encontro, a alegria onde a descubro.
Rir.
Dançar.
Conversar.
E ser feliz. 

5 comentários:

susana disse...

Férias?

nando disse...

Não, não. Melhor. Dia a dia!
;-)

(PS: ler outra vez!)lol

susana disse...

Tudo por causa dos dentes?
Lol!

nando disse...

Dos dentes?... lol
Certamente que também, mas penso que não tudo...
;-)

susana disse...

;)