16 julho 2006

Um dia depois do outro

Marco a peso o chão que piso
Na iminência do sentimento,
Que transpiro mas não digo.
São os passos do passado
Das desgraças e das vitórias
São hoje as pegadas destas botas
Não são nada
Passaram
Morreram

É na luz do sol,
À beira mar,
Na areia macia,
Que a vida acontece.
É descalço pela praia
Que corro o sangue
Que escorro o suor
Que jorro a alegria.

2 comentários:

susana disse...

Mar? Que surpreza...!

nando disse...

Pronto, pronto... confesso.
:)